Tucha Silveira



Perfil Profissional

É professora de Ballet, apaixonada pela dança e pelas crianças, entusiasta e profissional que gosta de fazer parte de uma equipa bem sucedida, produtiva e que põe em primeiro lugar as crianças. Rápida a produzir novas ideias. Capaz de trabalhar bem por iniciativa própria.

Carreira
1975 – 1988 - Bailarina

  • Na Companhia de Bailado Clássico Espanhol de Galiza, dirigida pela Professora e Coreógrafa Célia Neves (condecorada com a medalha de Mérito Artístico pelo Governo Espanhol), tendo participado em todos os espectáculos da Companhia durante esse período.

1977 -1997 - Directora de Escola de Dança
  • Criou a primeira Escola de Dança em Sintra, tendo uma média anual de 100 alunos.
  • Responsável pela Direcção, Administração e Publicidade da escola.

1977 – Hoje – Produção de Espectáculo
  • Montagem, organização e publicidade de espectáculos de Dança dos bailarinos/alunos das escolas onde tem trabalhado como professora, tendo organizado espectáculos dos seus alunos para entidades como a Câmara Municipal de Sintra, Centro de Dia de Algueirão-Mem-Martins, Progresso Clube de Mem-Martins, Tabaqueira.
  • Produzindo todos os anos um espectáculo de fim de ano onde participam todos os alunos de dança.

1977 – Hoje - Coreógrafa
  • Participação em espectáculos, em teatros nacionais e produções televisivas, coreografando todos os espectáculos dos seus alunos.

1977 – Hoje – Professora da actividade extra-curricular de Dança
  • Ensinando várias técnicas de dança, tais como Técnica de Dança Clássica, Técnica de Dança Contemporânea, Clássico Espanhol, Flamenco e Danças de Carácter a crianças dos 3 anos até adultos
  • Trabalhando atualmente e desde 1982 no Colégio dos Plátanos (Rinchoa) e Colégio Amor de Deus (Cascais).
    Sendo responsável pelo ensino da atividade e produção dos espetáculos realizados quer dentro do âmbito da atividade quer no âmbito do ensino pré-escolar e 1º ciclo.


Qualificações formais:
  • Curso Superior de Dança (Ensino) da Escola Superior de Dança do Conservatório Nacional – 1993-1995
  • Tendo trabalhado como aluna com Ruth Silk, Norma Croner, Vera Amorim, Vera Varela Cid e Patrick Heard, em Técnica Clássica; e com Manuela Valadas em Técnica Contemporânea
  • Seminários de Dança Contemporânea com Colin Sinclair (professor da Urdang Academy, Londres); Marta Munsó (bailarina da Companhia de Ballet Contemporâneo Suiça) e Diane Gray ( directora da Martha Graham School nos E.U.A.)
  • Diploma da Royal Academy of Dancing (Advanced Grade)

Muñeira
A muñeira (em galego, Muiñeira: "Molina") é uma dança popular de origem galega que se dança nas comunidades autónomas espanholas da Galícia, Astúrias e em territórios de Castela e Leão limítrofes da Galíza. Segundo Dionísio Preciado em outras regiões de Espanha é a chama "gallegada" .

É cantada e dançada acompanhada da gaita de foles, de tamboril o redoblante, pandereta (pandeireta), tambor, pandero (pandeiro), bombo, charrasco e por vezes as conchas (conchas ou vieiras). Não existem referências documentais inequívocas anteriores ao século XVI. Na actualidade é, sobretudo, uma dança instrumental que da mesma forma que a sardana (uma dança realizada en grupo e em círculo, que se dança na Catalunha e em Andorra) mantem um compasso de 6/8. O nome Muiñeira evoca as Jornadas de trabalho nos moinhos -em galego muíños - e o ócio associado à espera da moagem.

Aturuxo
O Aturuxo é um grito que se utiliza nas festas e para dar ânimo aos bailarinos. Deve ser forte, agudo e prolongado. Diz-se por vezes que o "Aturuxo" puede ter a ver com as manifestações musicais do norte da África, que teria chegado à Galíza por mar, a denominada "cultura atlântica", patente em outros aspectos musicais, tais como algumas curvas melódicas.

O Aturuxo, junto com o representativo ritmo percusivo da muñeira, possível herança das bandas militares dos suevos, demonstram que a muñeira não tem necessariamente orígem nas danças populares galegas que dançavam as famílias ao redor dos moinhos esperando a moagem, mas que também possa estar vinculada com as bandas militares suevas e as guerras históricas galegas.

Apoios

Artes do Oriente

Apoios

Apoios